Bolschare promove a agrabilidade de mãos dadas com a Universidade da Extremadura

Promove uma Cátedra que desenvolverá projectos destinados a adaptar a agricultura a pessoas com necessidades especiais.

 

 

Badajoz, 29 de maio de 2024.- Bolschare Tech, a divisão tecnológica do Grupo Bolschare, e a Universidade da Extremadura (UEx) apresentaram ontem a Cátedra Bolschare-Biergon UEx, uma iniciativa pioneira destinada a promover soluções de acessibilidade no sector agrícola da região. Através dela, será promovido o conceito de “agrabilidade”, que procura adaptar o trabalho no campo da Extremadura às pessoas com deficiência.

Entre os objectivos da nova Cátedra está a implementação e o desenvolvimento de meios técnicos e equipamentos especialmente concebidos para pessoas com deficiência, para que possam realizar actividades agrícolas com o mínimo de limitações possível. Neste sentido, o estudo do funcionamento de máquinas exoesqueléticas ou de cadeiras de rodas que facilitem os processos de sementeira surgem como projectos no âmbito do programa.

A cerimónia de apresentação oficial da Cátedra Bolschare-Biergon UEx, que teve lugar no Campus Universitário de Badajoz, foi presidida pelo presidente do Grupo Bolschare, Ignacio Schmolling; pelo reitor da UEx, Pedro M. Fernández Salguero; e pelo diretor da Cátedra, Konstantinos Gianikellis. Estiveram também presentes o diretor-geral da Bolschare Agriculture, Pedro Foles; a vice-reitora de Investigação e Transferência da instituição, María de Guía Córdoba; o secretário-geral da Universidade da Extremadura, Francisco Álvarez Arroyo; e o diretor da Fundecyt-PCTEX, José Luis Canito.

Durante a inauguração, Schmolling sublinhou o forte compromisso do Grupo Bolschare com os valores da integração social que procuram transformar a agricultura num motor de mudança e destacou a importância de promover projectos como a Cátedra. “Encontrámos no Grupo de Investigação Bioêrgon a forma de adaptar o sector às pessoas com necessidades especiais. O nosso objetivo é facilitar o apoio social aos sectores em que trabalhamos, a fim de construir ambientes de trabalho inclusivos em que as pessoas com necessidades especiais possam desenvolver a sua profissão sem limitações”, explicou.

Por seu lado, o diretor da Cátedra explicou os objectivos e as actividades a realizar. “O nosso foco será a investigação e o desenvolvimento de soluções tecnológicas e ergonómicas para o sector agroindustrial, promovendo a acessibilidade e a qualidade de vida no meio rural”, disse Gianikellis.

Fernández Salguero, reitor da UEx, destacou a relevância da sinergia com o sector agroindustrial e o “impacto importante” que o desenvolvimento de ferramentas destinadas a melhorar a vida das pessoas com deficiência pode ter na Extremadura. “A Cátedra Bolschare-Bioêrgon é um exemplo de como a colaboração entre o meio académico e a indústria pode gerar benefícios tangíveis para a nossa região”, afirmou.

A Cátedra realizará um Programa de Actividades anual, aprovado por um Comité de Acompanhamento, que incluirá um plano de geração e aplicação de recursos. Além disso, será apresentado um Relatório de Actividades anual à Vice-Reitoria com competências em I&D&I durante o primeiro trimestre do ano seguinte.